quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Barack Obama faz discurso sobre Religião, Política e a necessidade de aplicação da Democracia antes de qualquer fé

A Democracia exige que aqueles que são motivados pela religião, traduzam suas preocupações em valores universais, ao invés de específicos de uma religião. As pessoas estão cansadas de ver a fé ser utilizada como ferramenta de ataque.

Por: MixGospelNews
Fonte: Youtube

Barack Obama faz discurso sobre Religião, Política e a necessidade de aplicação da Democracia antes de qualquer fé
Dada a crescente diversidade das populações dos Estados Unidos, os ricos de sectarismo, estão maiores do que nunca.

O que quer que nós já tenhamos sido, nós não somos mais uma nação Cristã. Pelo menos não somente...

Nós somos também uma Nação Judaica, uma Nação Muçulmana e uma Nação Budista e uma Nação Hindu e uma Nação também de descrentes.

E mesmo se nós tivéssemos apenas Cristãos entre nós, se expulsássemos todos os não-cristãos dos Estados Unidos da América, qual Cristianismo ensinaríamos nas escolas?

Seria o Cristianismo de James Dobson, ou o Cristianismo de Al Sharpton?

Que passagem das escrituras deveriam instruir as nossas políticas públicas?

Deveríamos escolher o livro de Levíticos?
Que sugere que a escravidão é aceitável e que comer frutos do mar é uma abominação?

Ou poderíamos escolher o livro de Deuteronômio?
Que sugere apedrejar o seu filho se ele se desviar da fé?

Ou deveríamos apenas ficar com o Sermão da Montanha?
Uma passagem que é tão radical, que nos faz duvidar se o departamento de defesa Americano sobreviveria à sua aplicação!

Então... Antes de nos empolgarmos, vamos ler as nossas bíblias agora! As pessoas não têm lido a bíblia.

O que me trás ao meu segundo ponto:

A Democracia exige que aqueles que são motivados pela religião, traduzam suas preocupações em valores universais, ao invés de específicos de uma religião.

O que eu (Barack Obama) quero dizer com isso?

Ela (Democracia) requer que as propostas dela estejam sujeitas a discussão e que sejam influenciáveis pela razão.

Eu posso ser contra o aborto por razões religiosas, por exemplo. Mas, se eu quiser aprovar uma lei proibindo a prática do aborto, eu não posso simplesmente recorrer aos ensinamentos da minha Igreja ou invocar a vontade Divina; Eu tenho que explicar que o aborto viola princípios acessíveis a pessoas de todas as fés, incluindo aqueles sem fé alguma...

Agora... isso vai ser difícil para alguns que acreditam na inerrância da bíblia (como muitos evangélicos acreditam); Mas, numa sociedade pluralista nós não temos escolha.

A política depende das nossas habilidades de persuadir uns aos outros; De objetivos comuns, com base numa realidade comum. Ela envolve negociação, a arte daquilo que é possível.

E em algum nível fundamental, a religião não permite negociar! é a arte do impossível.

Se Deus falou, então espera-se que os seguidores vivam de acordo com os editos de Deus, sem se importar com as consequências disto.

Agora, basear a vida de uma pessoa em compromissos tão inegociáveis pode ser sublime! Mas, basear nossas decisões políticas em tais compromissos seria algo perigoso! E se você duvida disso, deixe-me lhe dar um exemplo:

Nós todos conhecemos a história de Abraão e Isaac. Abraão foi ordenado por Deus a sacrificar o seu único filho; Sem discutir, ele leva Isaac ao topo da montanha e o amarra no altar, levanta a sua faca, prepara-se para agir conforme Deus lhe ordenara.

Hoje nós sabemos que as coisas deram certo; Que Deus enviou um anjo para interceder no último minuto e que Abraão passou no teste de devoção a Deus.

Mas, é justo dizer que: Se qualquer um de nós saísse desta Igreja e visse Abraão no telhado de uma casa, levantando sua faca contra o próprio filho; Iríamos no mínimo chamar a polícia! e esperaríamos que o departamento de proteção à Criança e à Família tirasse de Abraão a guarda de Isaac.

Nós faríamos isso, porque nós não ouvimos o que Abraão ouviu! Nós não vimos o que Abraão viu! Então, é melhor agirmos de acordo com as coisas que todos nós vemos e que todos nós ouvimos. A jurisprudência é bom senso básico.

Então... nós temos algum trabalho para fazer aqui, mas eu tenho esperança de que poderemos transpor um hiato que existe e superar os preconceitos que todos nós (em maior ou menor grau) trazemos a este debate! E eu tenho fé que milhões de Americanos Crentes, querem que isso aconteça.

Não importa o quão religiosos eles possam ser ou não; As pessoas estão cansadas de ver a fé ser utilizada como ferramenta de ataque.

Elas... Não querem que a fé seja usada para diminuir ou dividir, porque no final não é dessa forma que elas vêm a fé nas suas próprias vidas.

Barack Obama

Assista o Vídeo:


www.amigosdebolso.com.br

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Pesquisa mostra que 16% da população mundial não têm religião

Em tamanho, o grupo só é inferior aos formados por cristãos e muçulmanos. Em seis países, pessoas sem religião são maioria

Por: José Antonio Lima , CartaCapital

"Homens sagrados" hindus participam de cerimônia em Allahabad, na Índia, nesta terça-feira 18. O festival Kumbh Mela, que em 2013 ocorre em janeiro e fevereiro, é a maior reunião de pessoas por motivo religioso do mundo. Foto: Sanjay Konojia / AFP
"Homens sagrados" hindus
Um levantamento feito pelo Fórum Pew para Religião e Vida pública com base em estudos demográficos de 230 países e territórios estima que 1,1 bilhão de pessoas (16,3% da população mundial) não possuem qualquer filiação religiosa. O grupo de pessoas sem religião (que não necessariamente são ateias) é o terceiro maior do levantamento, atrás apenas dos cristãos (31,5%) e muçulmanos (23,2%), e à frente do número de hindus (15%), budistas (7,1%), religiões folclóricas (5,9%), judeus (0,2%) e outras religiões (0,8%).

Segundo os números do Pew, as pessoas sem religião estão concentradas principalmente na região da Ásia-Pacífico. São 858,5 milhões de pessoas sem filiação religiosa (76% do total do grupo). Estão na Ásia quatro dos seis países/territórios em que a maioria das pessoas não é filiada a religiões: Coreia do Norte (71%), Japão (57%), Hong Kong (56%) e China (52%).

Os outros dois países com maioria de não religiosos são a República Tcheca (76%) e a Estônia (60%). A Europa é a segunda região com mais pessoas sem filiação - com 134,8 milhões (12%). Em seguida aparecem Europa América do Norte, com 59 milhões (5,2%); América Latina e Caribe, com 45,3 milhões (4%); África Subsaariana, com 26,5 milhões (2,4%); e Oriente Médio e Norte da África, 2,1 milhões (menos de 1%).

Os números obtidos pelo Pew são referentes a dados de 2010 e o instituto não fez comparação com anos anteriores. Há, entretanto, crescimento notório de pessoas sem religião em diversos países. No Brasil, o Censo 2012, feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostrou que entre 2000 e 2010 a porcentagem de não religiosos no país foi de 7,3%) para 8%.

Nos Estados Unidos, esse grupo chega a quase um quinto da população (20%), após rápido crescimento desde 2007, quando representava 15% dos norte-americanos. No Reino Unido, dados do censo divulgados na semana passada mostraram que o número de pessoas sem religião foi de 15% para 25% entre 2001 e 2011. Na Austrália, no mesmo período, o censo local mostrou crescimento dos sem religião de 15% para 22,3%.

O número de pessoas sem religião não necessariamente significa que elas não acreditam em deus. Há no grupo ateus, agnósticos e pessoas que não se identificam com uma religião. Segundo o Pew, é grande o número de pessoas do grupo que creem em "deus ou em uma força maior". Na China, são 7%, na França, 30%, e, nos Estados Unidos, 68%.

Cristãos são maioria no mundo

O cristianismo ainda é a religião majoritária, com 2,2 bilhões de filiados, cerca de 31,5% da população. As maiores incidências de cristãos estão na Europa, na América Latina e no Caribe e na África Subsaariana.

O Brasil é o segundo país com mais cristãos. São 173 milhões, atrás apenas dos Estados Unidos, onde há 243 milhões de cristãos. México, Rússia, Filipinas, Nigéria, China, República Democrática do Congo, Alemanha e Etiópia são os países que aparecem em seguida.

Os cristãos são bastante divididos. Os católicos representam metade (50%) dos cristãos, enquanto as diversas denominações protestantes representam 37%. Os ortodoxos (incluindo as igrejas da Rússia e da Grécia) são 12% e outras denominações (como mórmons e testemunhas de Jeová) representam 1%.

Os muçulmanos são o segundo maior grupo religioso do mundo. Há 1,6 bilhão deles pelo mundo, sendo 985 milhões na Ásia-Pacífico (61,7%); 317 milhões (19,8%) no Oriente Médio e Norte da África; 248 milhões (15,5%) na África Subsaariana; 43,4 milhões (2,7%) na Europa; 3,4 milhões (0,2%) na América do Norte; e 840 mil (0,1%) na América Latina e Caribe.

Leia mais aqui: http://www.cartacapital.com.br


www.amigosdebolso.com.br

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Escândalo: vídeo mostra pastor da Assembleia de Deus transando com fiel

As cenas de sexo entre um pastor e uma fiel, no município de Canindé de São Francisco repercutiu em todo sertão de Sergipe.

Por: tocooliver

O Pastor Manoel Macambira, conhecido por Dedé, da Igreja Assembleia de Deus, do Povoado Capim Grosso, praticou o adultério com uma  fiel de 35 anos em um Motel. O vídeo vazou na internet e através de celulares.

O pastor foi excluído da Congregação, sendo impedido de exercer o cargo. Manoel Macambira é natural de Alagoas, onde já foi preso por tráfico de drogas. Após sua prisão, na década de 90, “Dedé” se tornou evangélico e foi morar no interior sergipano.

Populares contam que a mulher é casada e tem quatro filhos.

A polícia de Sergipe investiga o vazamento do vídeo que compromete o evangélico. Segundo informações as  imagens foram feitas pelo próprio casal.

Leia mais aqui: http://tocooliver.blogspot.com.br


www.amigosdebolso.com.br